Desmistifique-se o RGPD

Vamos por partes:

O RGPD – Regulamento Geral de Proteção de Dados – passa a ser aplicável a partir de hoje, 25 de Maio de 2018, querendo isto dizer que as organizações públicas e privadas tiveram um período, que decorreu de Maio 2016 até hoje, para se prepararem para a conformidade com este regulamento.

Ora, na prática isto não aconteceu. Tenha sido por falta de informação e conhecimento, por acharem que o RGPD não se aplica à sua organização, falta de tempo, pelos custos que acham que estão associados, pela logística ou por tantas outras razões.

 E, tenham sido elas quais tenham sido, a verdade é que de hoje em diante não há grande volta a dar e as alterações previstas no regulamento terão que ser feitas.

São algumas, é verdade, e implicam um esforço e adaptação por parte das organizações. Implicam, também, que muitos processos intrínsecos até hoje, deixem de o ser. O que não implicam é que seja um pesadelo para as PME’s e não implicam gastar valores absurdos para que se cumpra com o regulamento.

Cada caso é um caso, como é óbvio, e não podemos generalizar os custos associados a uma implementação deste género para todas as PME’s. O que podemos fazer é apresentar uma solução que se adapta a todas, sem excepção. Uma solução que permite às PME’s actualizarem os seus processos, prepararem a documentação necessária e alterarem o que seja necessário, mas nunca perdendo o foco e o controlo. Um guia, digamos assim, para que o RGPD não seja uma cruzada sem fim.

O Playbook RGPD é tudo isto: é um guia explicativo do RGPD e é um guia de todas as alterações aos processos internos e documentação necessárias para que se esteja em conformidade. Tudo agregado num só manual e caixa de ferramentas, sempre disponível e com acesso a horas de consultoria para que a implementação seja o mais tranquila e informada possível. E vai ainda mais longe, porque também contempla a Segurança Cibernética e as boas práticas para este novo paradigma.  Porque, e acima de tudo, é necessário que se implementem regulamentos mas que se perceba o porquê de o estarmos a fazer e quais as verdadeiras implicações no dia-a-dia da organização e no seu produto final.